Raquel Casiraghi

Transgénicos

"E representante da agricultura familiar na CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança), José Maria Gusman Ferraz, le conversou sobre o desafio de atuar em favor dos pequenos agricultores na comissão, dominada por empresas e defensores dos transgênicos, os malefícios desta tecnologia para a agricultura familiar, novas tendências de plantio no setor e a atuação dependente das universidades e das instituições de pesquisa".

Brasil: o desafio de atuar na CTNBio em favor da agricultura camponesa

Os povos indígenas estão entre as populações mais afetadas com as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e os estímulos desenfreados à produção de biocombustível. De acordo com levantamento do governo federal, a transposição do rio São Francisco, no Nordeste, e a construção de hidrelétricas e asfaltamento de estradas na região Amazônica, todas previstas no PAC, devem afetar diretamente 201 territórios indígenas. Destes, 21 pertencem a povos isolados, que não têm contato com a população branca

Brasil: PAC e biodiesel trazem riscos a povos indígenas

Cerca de 50 lideranças indígenas das etnias Tupiniquim e Guarani do Espírito Santo estão acampados desde terça-feira, em frente ao Ministério da Justiça, em Brasília. Eles prometem ficar o tempo necessário para terem uma reposta sobre a demarcação de uma área de 11 mil hectares em disputa com a multinacional Aracruz Celulose

Indígenas vão a Brasília exigir terras da Aracruz

Passado um ano das denúncias sobre a venda e o plantio ilegal de milho transgênico no Rio Grande do Sul, apenas um agricultor foi autuado

Brasil: milho transgênico ainda é investigado pelo Mapa

Planalto estuda revogar artigo que veta o plantio de organismos geneticamente modificados a menos de 10 km de áreas de conservação e proteção ambiental

Brasil: governo quer liberar transgênicos em áreas ambientais

O plantio da soja deve aumentar mais 27% até 2010, liderando o avanço do agronegócio em todo o mundo. A estimativa, assustadora, foi divulgada durante o painel de abertura do Fórum Social de Resistência ao Agronegócio, que acontece em Buenos Aires, na Argentina

Soja lidera avanço do agronegócio nos próximos anos, analisam pesquisadores

Apesar das economias e das culturas dos países latino-americanos serem distintas, o efeito destruidor que o agronegócio gera é comum a todos eles. Argentinos, brasileiros, paraguaios, uruguaios e bolivianos traçaram um perfil deste modelo em seus países, a fim de encontrar as semelhanças e, assim, criar um plano de resistencia em conjunto

Países traçam perfil do agronegócio na América Latina

“Se o homem tem capacidade de destruir ele também pode salvar”, afirma Jorge Rulli, do Grupo de Reflexão Rural, da Argentina

Argentina: nova relação campo-cidade é debatida em Fórum