Brasil

- Foto por FAO.

O Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) encerrou suas atividades nesta quarta-feira (30), por conta das mudanças administrativas trazidas pela Medida Provisória 870 de 2019, editada pelo governo Bolsonaro. 

Referência em políticas de combate à fome, Consea fechou as portas nesta quarta (30)

- Foto por Cláudio Tavares / ISA.

Os povos indígenas realizaram, ao longo de todo o dia hoje (31), a primeira grande manifestação popular contra o governo Bolsonaro, numa onda de passeatas, atos e bloqueios de rodovias. A estimativa da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) é de que ocorreram protestos em quase 60 locais no Brasil, em 22 Estados e no DF, além de mais oito países. Ocorreram protestos em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Fortaleza, Cuiabá, Porto Velho, Campo Grande, Nova Yorque, Washington, Londres, Lisboa e Zurique, entre outras cidades.

Povos Indígenas realizam primeira grande mobilização contra governo Bolsonaro

Festa da Semente Crioula cultiva os valores da terra

O nome deu o tom e as cores da diversidade contrastavam com o verde predominante no horizonte do campo. Foi na linha Tesoura, no interior do município de Seberi, que centenas de trabalhadores rurais se encontraram para mais uma Festa da Semente Crioula promovida pelo Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) com o apoio da Cooperbio neste sábado, 2 de fevereiro.

Festa da Semente Crioula cultiva os valores da terra

Fotografía: Rogério Alves / TV Senado

En esta etapa del capitalismo globalizado en la que las ambiciones económicas desenfrenadas colisionan con la viabilidad del planeta, un hecho aparentemente aislado en una localidad del interior de Brasil captura en sí mismo todos los ingredientes para entender la época en la que vivimos. Nos toca presenciar nuevamente, tras tres años, un hecho de fatal negligencia empresarial como lo es el aluvión de lodo y minerales tóxicos, responsabilidad de la gigante multinacional Vale do Rio Doce.

Catástrofes nada naturales

Entenda como um grupo de ativistas compra ações da Vale para denunciar a mineradora

Um grupo de acionistas da Vale denunciou a própria mineradora, nesta quarta-feira (30), na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão vinculado ao governo federal responsável pela fiscalização e regulação do mercado da bolsa de valores.

Entenda como um grupo de ativistas compra ações da Vale para denunciar a mineradora

- Foto por Washington Alves / AFP.

As pessoas que tiveram contato com a lama que invadiu a cidade de Brumadinho (MG) após o rompimento da barragem da mineradora Vale, na tarde de 25 de janeiro, começam a apresentar sintomas de intoxicação. A tragédia, que já deixou ao menos 110 mortos e 238 desaparecidos, espalhou cerca de 12 milhões de metros cúbicos de lama com rejeitos pela cidade.

Moradores de Brumadinho expostos à lama começam a apresentar sintomas de contaminação

Soja: Rússia detecta glifosato acima do tolerado e pede explicação ao Brasil

Segundo o secretário de defesa agropecuária do Ministério da Agricultura, José Guilherme Leal, governo tem até duas semanas para prestar esclarecimentos.

Soja: Rússia detecta glifosato acima do tolerado e pede explicação ao Brasil

Protestos contra a Vale marcam o 7° dia do crime de Brumadinho

Em solidariedade às vítimas do crime ambiental de Brumadinho, integrantes da Frente Brasil Popular realizam diversas manifestações em todo o Brasil nesta quinta-feira (31). Em Mariana, a sede da Renova, entidade criada pela mineradora para administrar o processo de reparação às famílias vítimas da barragem de Fundão, foi ocupada.

Protestos contra a Vale marcam o 7° dia do crime de Brumadinho